» Estado adia inauguração da Nova Tamoios e promete fim de ano tranquilo

Postado em: quinta-feira, 12 de dezembro de 2013 às 8:27

Entrega estava prevista para o próximo dia 16, mas obra total só deve ser concluída no dia 14 de janeiro; paralisação dos serviços começa dia 19
Mara Cirino
As duas pistas da rodovia Nova Tamoios serão liberadas pela Secretaria Estadual de Logística e Transportes, por meio do Dersa – Desenvolvimento Rodoviária S/A a partir da próxima quinta-feira, dia 19. O anúncio foi feito na tarde de ontem, pelo presidente da empresa, Laurence Casagrande ao garantir que a medida é para dar mais tranquilidade aos usuários da via nos períodos das festas natalinas e de Ano Novo. Inicialmente a obra seria entregue na próxima segunda-feira, dia 16, conforme anunciado há um ano pelo governador Geraldo Alckmin, mas alguns atropelos atrapalharam o cronograma.  Ontem, Casagrande explicou que no dia 19 as obras serão paralisadas e que os motoristas poderão usar os 49 quilômetros duplicados, do km 11,5 ao km 60,48. “Entre os quilômetros 26 e 28 (trecho da serrinha) – ainda não concluídos – as obra serão paradas e haverá duplicação provisória que trará mais tranquilidade aos usuários”, disse o presidente do Dersa.
Ele garantiu, ainda, que nesse período não haverá nenhuma interferência tanto na rodovia com as operações ‘Pare e Siga’, como nos acostamento, com a retirada de caminhões e dos trabalhadores. Questionado sobre o não cumprimento do prazo, Laurence Casagrande destacou que o contrato foi assinado no dia 15 de maio de 2012 e o prazo da obra é de 20 meses, vencendo no dia 15 de janeiro de 2014. “O governador que queria antecipar para entrar no Natal e Ano Novo com a duplicação pronta, por isso deu a data no dia 16 de dezembro, mas estamos dentro do prazo”.
Para que não ocorra atraso no cronograma, os serviços serão retomados a partir de 7 de janeiro com promessa de conclusão para o dia 14 do mesmo mês. A justificativa para essa prorrogação do prazo se deve, conforme o presidente, as chuvas registradas no início deste mês. “Foram 55 milímetros e um dia inteiro se trabalho”. Apontou também as quebras de um guindaste que ficou dias parado e de uma treliça (máquina utilizada para a colocação de vigas de concreto) que não retornou para o canteiro de obras. “Agora que terminamos a ponte no km 48, ele foi deslocado para o ponto onde falta concluir o serviço”.
De acordo com o secretária de Logística e Transportes, Saulo de Castro Abreu Filho, entre 7 e 14 de janeiro serão concluídos os trabalhos nos quase dois quilômetros restantes, bem como serão finalizadas as 16 passagens de nível abaixo e acima da rodovia, implantação de três passarelas, sendo uma no km 11,9 próximo à Fundação Casa, outra no km 38,2 na Hidrelétrica de Paraibuna e no km 45.
A duplicação da Nova Tamoios Planalto é considerada a maior intervenção executada na rodovia nos últimos 40 anos. O investimento é de R$ 1,05 bilhão e atende os municípios de São José dos Campos, Jacareí, Jambeiro e Paraibuna.
Pressão 
Essa semana, os prefeitos do Litoral Norte estavam dispostos a se mobilizarem para pedir ao governador Alckmin que suspendesse as obras para evitar transtornos aos turistas que viriam ao Litoral Norte para passar as festividades. Conforme Casagrande, esse clamor não chegou ao seu conhecimento e no sábado passado já havia conversado com o governador que se mostrou favorável à liberação das pistas.
“Não sofremos pressão, foi questão de bom senso. Antecipando aos problemas, somos responsáveis”.
Em sua avaliação, não deve ocorrer o caos registrado no último feriado – 15 de novembro – quando chegar ao Litoral Norte levou mais de 10 anos para quem saiu da capital paulista. De São José dos Campos a Caraguatatuba, o percurso chegou a seis horas quando o normal é 1h30.
“Com a liberação da pista duplicada, quem vai para Caraguá, Costa Norte de São Sebastião e Centro, pode usar tranquilamente a Nova Tamoios; se for para Ubatuba pode seguir para Osvaldo Cruz que com certeza não terá aquele tráfego do feriado. Outra opção é ir pela Mogi/Bertioga para quem for para a Costa Sul de São Sebastião”, orienta Laurence Casagrande.
Foto: Thiago Takeda/Transportes

Leia tambem